Horários de visitas

APARTAMENTOS

Das 9h às 20h30

É permitida a permanência de 2 (dois) visitantes por vez, além de 1 (um) acompanhante.


ENFERMARIA

Das 14h às 18h

É permitida a entrada de 2 (dois) visitantes por vez.


CTI ADULTO

Das 17h às 18h

É permitida a permanência de 2 (duas) pessoas por leito sem troca de visitantes.


CTI NEUROLÓGICO

Das 11h às 12h e das 17h às 18h

É permitida a permanência de 2 (duas) pessoas por leito e por período, sem troca de visitantes. Na parte da manhã, os dois visitantes poderão permanecer por 30 minutos.


UNIDADE CORONARIANA

Das 11h às 12h e das 16h30 às 17h30.

É permitida a permanência de 2 (duas) pessoas por leito. Na parte da manhã, os visitantes poderão permanecer por 30 minutos. À tarde, poderão permanecer por 1 hora, sem troca de visitantes.


UTI NEONATAL E PEDIÁTRICA

Das 11h às 11h30 e das 16h às 17h30

É permitida a entrada somente dos pais. Às segundas-feiras, das 17h às 17h30, é permitida a entrada dos avós, com permanência de 2 (duas) pessoas por leito, sem troca de visitantes.


ATENÇÃO:

PARA VISITAS AOS APARTAMENTOS E À ENFERMARIA:

DESMAME


A OMS recomenda aleitamento materno até 2 anos de idade, mas a decisão de até quando amamentar é somente da mulher, mãe que vive esse conflito de saber o momento certo para desmamar seu filho, e deve ser tomada levando-se em consideração muitos fatores, desde emocionais, até familiares e sexuais.

Muitas mulheres pensam em não planejar. Mantém aleitamento materno exclusivo por seis meses e então introduzem novos alimentos, como frutas, legumes, verduras, carnes, arroz, macarrão, feijão e ovos. 

É nessa fase que começam os questionamentos. Afinal, amamentar é uma delícia, a mãe sente-se plenamente realizada nessa relação já tão bem estabelecida, mas tem todos os questionamentos sobre horário, tempos de amamentar, noites mal dormidas, uma possível nova gestação, etc. As perguntas incomodam, porque são reais. 

Muitas mães percebem que o mais difícil não é desmamar, mas sim decidir. Quem vai ajudar a decidir? A mulher precisa passar por uma profunda introspecção e análise de si mesma para que ela possa ler, ouvir e conhecer histórias, sabendo que a decisão e o caminho — quando e como — para o desmame, só podem sair dela mesma.

Enfrentar o desmame é enfrentar a si mesma. É assumir: “Eu quero desmamar… e pronto!”. É se sentir plena, e passar uma página da sua vida, é guardar as lembranças bem guardadas e saber que você poderá sempre voltar e recordar, que aquele período mágico da sua vida aconteceu de verdade, e que você o viveu intensamente, mas ele passou.

Terminar a história do aleitamento materno é abrir espaço para novas histórias. Novas experiências com seu bebê, com seu marido, com você mesma, com sua sexualidade, com a vida à sua volta. Não há uma data própria para desmamar mães e bebês.

O melhor caminho é a busca pelo autoconhecimento e informação. Não aceitar  mitos, medos, nem falas preconceituosas. Olhar para dentro de si própria e escolher viver a sua história, do seu filho, de sua família, respeitando as peculiaridades que são próprias de vocês.

O desmame vai chegar no momento certo, assim como chegaram o trabalho de parto e o leite materno. É importante o preparo, fortalecendo as relações de amor entre mãe e filho, independente da forma de alimentá-lo.



CONVÊNIOS CREDENCIADOS

    CONTATO

    Dr. Edgar Carlos Pereira, 600 - Santa Teresa,
        Juiz de Fora - MG, 36020 - 200

    Acesse os horários e itinerário de ônibus

    sabinjf.com.br            SABINJF

    (32) 3249 - 7000

    Trabelho conosco