Horários de visitas

APARTAMENTOS

Das 9h às 20h30

É permitida a permanência de 2 (dois) visitantes por vez, além de 1 (um) acompanhante.


ENFERMARIA

Das 14h às 18h

É permitida a entrada de 2 (dois) visitantes por vez.


CTI ADULTO

Das 17h às 18h

É permitida a permanência de 2 (duas) pessoas por leito sem troca de visitantes.


CTI NEUROLÓGICO

Das 11h às 12h e das 17h às 18h

É permitida a permanência de 2 (duas) pessoas por leito e por período, sem troca de visitantes. Na parte da manhã, os dois visitantes poderão permanecer por 30 minutos.


UNIDADE CORONARIANA

Das 11h às 12h e das 16h30 às 17h30.

É permitida a permanência de 2 (duas) pessoas por leito. Na parte da manhã, os visitantes poderão permanecer por 30 minutos. À tarde, poderão permanecer por 1 hora, sem troca de visitantes.


UTI NEONATAL E PEDIÁTRICA

Das 11h às 11h30 e das 16h às 17h30

É permitida a entrada somente dos pais. Às segundas-feiras, das 17h às 17h30, é permitida a entrada dos avós, com permanência de 2 (duas) pessoas por leito, sem troca de visitantes.


ATENÇÃO:

PARA VISITAS AOS APARTAMENTOS E À ENFERMARIA:

A importância da consulta pré-anestésica


Toda cirurgia, por menor que seja, apresenta riscos e, por isso, desde 2006, por meio da Resolução nº1.802, o Conselho Federal de Medicina (CFM) enfatiza a necessidade de consulta pré-anestésica para avaliação dos riscos  do paciente em procedimentos eletivos. Apesar disso, boa parte da população ainda não realiza esta consulta preventiva. O alerta é da anestesiologista e Diretora Técnica do Hospital Albert Sabin, Christiane Marie Rittershaussen Furtado.

A Dra. Christiane esclarece que, durante a consulta, o paciente deve contar sua história ao anestesiologista: hábitos, exames já realizados, medicações que utiliza, reações alérgicas e experiências anteriores com anestesia. “O paciente recebe orientações sobre as alternativas anestésicas e as possíveis complicações. Isto lhe dará mais tranquilidade. Durante a consulta, também deve ser formalizado o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Sempre converse com seu médico, antes de uma cirurgia ou exame. Fale, pergunte e crie confiança. Não esconda nada do seu anestesiologista. É ele quem cuidará de você no momento do seu procedimento”, afirma.

A Dra. Christiane explica ainda que, quando o paciente, por algum motivo, não passou pelo consultório de pré-consulta, o anestesiologista, antes da cirurgia, fará uma avaliação geral do estado de saúde física e emocional dele. “É comum que repita perguntas já feitas pelo cirurgião e pela enfermagem, mas tudo isto é para maior segurança do paciente e de seu procedimento”.

Atualmente, são utilizados três tipos de anestesia: local (uso de anestésico local, aplicado somente no local da cirurgia), regional (uso de anestésico local em área de abrangência maior em relação à região do corpo onde será realizada a cirurgia, como, por exemplo, raquianestesia, peridural ou bloqueios periféricos) e geral (o paciente fica inconsciente. Pode ser aplicada por via endovenosa ou inalatória). Entretanto, quem decide pela melhor opção é o anestesiologista, a partir das avaliações clínicas do paciente. 

O tempo de duração de uma anestesia deverá ser proporcional ao tempo projetado para a intervenção cirúrgica. O anestesiologista poderá manter a anestesia por quanto tempo for necessário, através da administração do anestésico, sem interrupção. A Dra. Christiane esclarece que, na anestesia local ou regional, o paciente pode ficar acordado ou não. Em cirurgias rápidas em pacientes calmos, não há necessidade de ficar inconsciente. Em cirurgias mais longas ou em pacientes mais nervosos, é comum a utilização de sedação, ou seja, o paciente ficará dormindo/cochilando durante a cirurgia.

Após a cirurgia, todos os pacientes ficam um tempo na Sala de Recuperação Pós-anestésica (SRPA), onde são monitorados a pressão arterial, a frequência cardíaca, a respiração e o nível de consciência em intervalos regulares. O tempo que o paciente fica na SRPA é variável e tem por finalidade observar a resposta individual da anestesia em cada paciente. 

A Dra. Christiane explica que esse procedimento é padrão e não significa que haja complicações na cirurgia. “O paciente permanecerá na Sala de Recuperação até que o médico verifique um quadro de total estabilidade para alta para o quarto ou para casa, nos casos de cirurgias ambulatoriais. Alguns pacientes considerados graves ou submetidos a cirurgias complexas podem passar pela Sala de Recuperação e, depois, serem encaminhados para ao Centro de Tratamento Intensivo (CTI). O anestesiologista levará o paciente até o CTI onde uma equipe médica fará seu acompanhamento.”

O Hospital Albert Sabin possui consultório especializado em consulta pré-anestésica. Para agendar uma consulta, basta ligar de 2ª a 6ª feira, das 7h30 às 19h, no telefone: 3249-7057.



CONVÊNIOS CREDENCIADOS

    CONTATO

    Dr. Edgar Carlos Pereira, 600 - Santa Teresa,
        Juiz de Fora - MG, 36020 - 200

    Acesse os horários e itinerário de ônibus

    sabinjf.com.br            SABINJF

    (32) 3249 - 7000

    Trabelho conosco